Você já ouviu falar nos bancos digitais? Cada vez mais comuns, esses bancos também são chamados de fintechs. O termo é a junção das palavras em inglês “financial” e “technology” . São conhecidos por terem soluções bancárias com menos burocracia e menores taxas. Como o próprio nome diz, são 100% digitais. Por isso, tudo o que você precisa fazer para administrar sua conta é feito de forma on-line.

Tem dúvidas se esse tipo de serviço é uma boa para você? Veja a seguir os prós e contras dos bancos digitais. Além disso, saiba o que considerar ao escolher uma instituição bancária desse tipo.

Vantagens dos bancos digitais

Sem burocracia

A praticidade é uma das principais vantagens dos bancos digitais. Por existirem apenas no meio virtual, essas instituições investem no desenvolvimento de aplicativos para celular e outras tecnologias nas quais você consegue resolver todas as suas necessidades.

Ou seja: nada de ter que esperar a agência abrir, se deslocar até lá e ainda pegar fila para fazer um pagamento, por exemplo.

Taxas bancárias

Outro aspecto positivo dos bancos digitais é a redução de taxas bancárias. A maior parte das fintechs não cobra taxa para abertura de conta, por exemplo. Outras, disponibilizam linhas de crédito para contratação sem burocracias. Além disso, também costumam zerar as taxas de manutenção.

Até pouco tempo, uma das grandes vantagens dos bancos digitais era a isenção de taxas para TED. Hoje, com a existência do PIX, esse benefício deixou de ser um diferencial das fintechs, mas ainda é um serviço oferecido.

Investimentos

Mais um atrativo dos bancos digitais são as funcionalidades que facilitam investir seu dinheiro. Dentre as oportunidades estão a de aplicar automaticamente o valor que fica em sua conta corrente em investimentos como CDI e CDB.

Ou seja, enquanto em um banco tradicional o dinheiro fica na sua conta parado, muitas vezes sendo desvalorizado frente a inflação, no banco digital a situação é outra. Seu dinheiro pode até ficar parado na conta, mas vai render sem você precisar fazer nenhum esforço para isso.

Emissão de boletos

Além disso, uma função muito apreciada pelos clientes dos bancos digitais é a opção de emitir boletos bancários, mesmo por contas de pessoa física.

Nu Bank e Inter são exemplos de bancos digitais | Foto: Renato P Castilho / Shutterstock.com

Nu Bank e Inter são exemplos de bancos digitais | Foto: Renato P Castilho/Shutterstock

Desvantagens dos bancos digitais

Garantias

Uma das principais preocupações das pessoas quando se fala em bancos digitais é a garantia da custódia do dinheiro. Estamos acostumados a confiar em empresas tradicionais, especialmente quando se fala em dinheiro, né? Além disso, muitos ficam inseguros de colocar o próprio dinheiro sob a custódia de uma instituição que não é física.

Com relação à garantia para o seu dinheiro é preciso observar se o banco que você pretende abrir conta é realmente um banco ou uma instituição financeira. É que os bancos têm proteção pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Esse fundo garante que, se o banco quebrar por algum motivo você tem proteção de até R$ 250 mil por CPF. Já outras empresas consideradas instituições financeiras não têm, necessariamente, a cobertura do FGC.

Clique aqui para conferir todas as instituições associadas ao Fundo Garantidor de Crédito.

Segurança

Outra dúvida levantada sobre os bancos digitais é com relação à segurança em realizar operações financeiras no meio eletrônico. Hoje, com a modernização das tecnologias, a segurança dos aplicativos e sites dos bancos é muito mais robusta. Entretanto, falhas podem acontecer.

Para se prevenir, o ideal é seguir as instruções da instituição quanto aos protocolos de segurança, ter senhas fortes, dispositivos atualizados e se manter informado sobre os golpes praticados por criminosos.

Saques

Como esses bancos não têm agência física, a maioria só disponibiliza a realização de saques por meio da rede de caixas eletrônicos do Banco 24 Horas. Além disso, ao contrário das ações feitas no meio eletrônico, alguns bancos digitais cobram tarifas por saque.

Atendimento

Outro ponto a ser observado sobre esses bancos é com relação ao atendimento. Sem a agência física, o atendimento on-line é a regra.

Por um lado, essa forma de atendimento pode ser positiva porque funciona em horários mais flexíveis, ao contrário do atendimento na agência física. Por outro, para quem não tem facilidade em lidar com novas tecnologias ou não gosta de atendimentos sem o “olho no olho”, os bancos digitais podem não ser a melhor alternativa.

Bancos digitais não têm agência física | Foto: creo2/Shutterstock

Bancos digitais não têm agência física | Foto: creo2/Shutterstock

O que considerar ao escolher um banco digital

Como você pôde ver, os bancos digitais têm vantagens e desvantagens. Para definir se essa é uma boa opção para você e escolher um banco digital, a MAG Seguros traz uma lista com critérios a serem observados. Veja alguns e confira todos eles no site da MAG.

- Regulamentação no Banco Central

- Reputação

- Qualidade dos canais de atendimento

- Usabilidade dos aplicativos

Clique aqui para ver outros critérios.


Independente de qual banco você usa, para ter longevidade financeira é preciso cultivar bons hábitos. Baixe agora nosso checklist de controle de hábitos financeiros para te ajudar nessa jornada!

Checklist de Controle de Hábitos Financeiros

Cultivo bons hábitos para sua longevidade financeira. Baixe GRÁTIS e imprima o checklist de controle de hábitos financeiros!

Livro


Veja também:

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: