A Caixa Econômica Federal realizou, no dia 24 de agosto, o rateio dos lucros do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) de 2020. Ao todo, 88,6 milhões de trabalhadores foram beneficiados com a medida, com depósitos nas contas vinculadas. Dinheiro extra que chega em muito boa hora e que vai impactar positivamente a economia de milhares de lares brasileiros.

A decisão, tomada uma semana antes pelo Conselho Curador do FGTS, distribuiu R$ 8,129 bilhões decorrentes do lucro líquido do fundo no ano passado. O valor representa 96% do ganho de R$ 8,467 bilhões obtido pelo FGTS em 2020.

Como calcular os lucros do FGTS?

Como valor de referência, a Caixa Econômica utilizou o saldo de cada conta em 31 de dezembro de 2020. Os contribuintes que tiverem mais de uma conta receberão crédito em todas elas, proporcionalmente ao saldo.

A parcela dos lucros do FGTS é calculada da seguinte forma: pegue o saldo de cada conta em seu nome em 31 de dezembro do ano passado e multiplique por 0,01863517. Isso significa que, na prática, a cada R$ 1 mil de saldo na conta, a pessoa receberá R$ 18,63. Dessa forma, quem tinha R$ 2 mil no dia 31 de dezembro de 2020 receberá R$ 37,27 de lucro do FGTS, até chegar a R$ 93,17 para quem tinha R$ 5 mil no fim de 2020.

Como consultar o seu saldo?

Para consultar o saldo do FGTS, o trabalhador poderá optar pelo aplicativo FGTS ou pelo extrato do fundo, obtido no site da Caixa ou em qualquer agência física.

Também vale lembrar que, a cada dois meses, a Caixa envia o extrato do FGTS em papel para o endereço cadastrado. Se você mudou de residência, procure já uma agência da Caixa para atualizar seus dados ou ligue para o número 0800-726-0101 para informar seu novo endereço.

Como sacar os lucros do FGTS?

A regra para sacar o FGTS permanece a mesma, ainda que seja somente parte dos lucros do FGTS. O dinheiro só poderá ser retirado em condições especiais, como demissões, compra da casa própria ou doença grave.

 Os contribuintes que aderiram ao saque-aniversário poderão retirar uma parte do saldo até dois meses após o mês de nascimento, mas perde direito ao pagamento integral do fundo no caso de demissão sem justa causa.


Já imaginou receber conteúdos sobre saúde, trabalho, finanças e muito mais diretamente no seu celular? Clique aqui e entre no nosso grupo do WhatsApp.


Leia também:

Saiba em que casos o afastamento pelo INSS conta para a aposentadoria

BPC: saiba como funciona o Benefício de Prestação Continuada

Independência financeira: como conquistar a sua para não depender dos filhos na aposentadoria

Governo cria nova bandeira tarifária: veja como ela vai impactar o seu bolso

Regra 50-30-20: saiba como administrar suas finanças pessoais e não perder dinheiro

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: