Muitos trabalhadores estão com a mesma dúvida: como calcular o desconto do INSS nos salários em 2021? Por isso, o Instituto de Longevidade MAG foi atrás das respostas e trouxe tudo explicadinho para você nesta matéria.

As novas alíquotas de contribuição do trabalhador para o INSS já estão em vigor desde 2020. A atualização das faixas foi definida pela reforma da Previdência, promulgada em 2019. Ao acabar com a alíquota única sobre o salário do trabalhador, a reforma trouxe um grande benefício aos contribuintes: quem ganha mais, paga mais; quem ganha menos, paga menos.

Foram impactados pela decisão trabalhadores da iniciativa privada, domésticos e avulsos (quem presta serviços para empresas, mas não tem carteira assinada).

Quais são as alíquotas de desconto do INSS em 2021?

As novas alíquotas de contribuição sobre os salários passaram a valer em fevereiro e não serão aplicadas sobre todo o salário, diferentemente de como era feito antes da reforma. O percentual será aplicado apenas sobre a parcela do salário que se enquadrar em cada faixa.

Como era em 2020

  • Até R$ 1.045,00 (salário-mínimo) – 7,5%
  • Entre R$ 1.045,01 e R$ 2.089,60 – 9%
  • Entre R$ 2.089,61 e R$ 3.134,40 – 12%
  • Entre R$ 3.134,41 e 6.101,06 – 14%

Como será em 2021

  • Até R$ 1.100,00 (salário-mínimo) – 7,5%
  • Entre R$ 1.100,01 e R$ 2.203,48 – 9%
  • Entre R$ 2.203,49 e R$ 3.305,22 – 12%
  • Entre R$ 3.305,23 e 6.433,57 – 14%

Exemplo 1

Se um trabalhador ganha R$ 1.500,00, o desconto do INSS será de 7,5% sobre R$ 1.100,00 (R$ 82,50) + a alíquota de 9% sobre a quantia que está na faixa seguinte (1.500,00 – 1.100,01 = R$ 399,99). O valor será de R$ 35,99.

Cálculo final: R$ 82,50 + R$ 35,99 = R$ 118,49

Para calcular a alíquota efetiva, divida o valor efetivo pelo salário do trabalhador (118,49 ÷ 1.500,00), o que resultará em 7,89% do seu salário.

Veja como calcular o desconto do INSS sobre seu salário. Foto: Leonidas Santana / Shutterstock.

Veja como calcular o desconto do INSS sobre seu salário. Foto: Leonidas Santana / Shutterstock.

Exemplo 2

Se um trabalhador ganha R$ 3.000,00, ele se encontra na terceira faixa (R$ 2.203,49 a R$ 3.305,22). Será necessário calcular o valor da alíquota para cada faixa:

1ª faixa salarial: 1.100,00 x 7,5% = 82,50

2ª faixa salarial: [2.203,48 – 1.100,00] x 9% = 1.103,48 x 9% = 99,31

Faixa que atinge o salário: [3.000,00 – 2.203,48] x 12% = 796,52 x 12% = 95,58

Total a recolher: 95,58 + 99,31 + 82,50 = 277,40

O desconto do INSS tem um teto de contribuição, que é de R$ 6.433,57. A parte do salário que ultrapassar esse teto fica isenta.

Quem não será afetado pelas novas alíquotas de contribuição?

Para salários de contribuição no valor de um salário-mínimo, valem as mesmas regras já em vigor;

O contribuinte individual que trabalhar por conta própria sem vínculo com a empresa (como diaristas e autônomos) e o segurado facultativo (donas de casa e estudantes, por exemplo) recolherão a alíquota de 11% sobre o valor do salário-mínimo (R$ 121,00);

O Microempreendedor Individual (MEI) e o segurado facultativo sem renda própria (que se dedique exclusivamente ao trabalho doméstico em sua residência), desde que pertencente a uma família de baixa renda inscrita no CadÚnico, recolherão a alíquota de 5% sobre o valor do salário-mínimo (R$ 55,00);

O contribuinte individual que presta serviço à empresa recolherá a alíquota de 20% sobre o piso nacional (R$ 220,00).


Gostou da matéria? Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba outros conteúdos sobre saúde, trabalho, finanças e muito mais!


Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: