Golpistas vêm usando vagas de emprego falsas como isca para praticar crimes. Mirando pessoas que buscam uma recolocação no mercado de trabalho, eles roubam dados e até dinheiro por meio da divulgação de vagas falsas. Em casos mais graves, podem até atrair as vítimas para encontros presenciais.

Um levantamento da empresa de segurança PSafe apontou que, de janeiro a maio de 2021, os brasileiros acessaram e compartilharam mais de 346 mil páginas na web com golpes do tipo.

Na maioria das vezes, os criminosos fazem uma divulgação de vagas que não existem. Essas falsas oportunidades são publicadas em redes sociais, sites de anúncios de produtos ou até mesmo chegam na forma de e-mail. A partir do anúncio, o golpe pode acontecer de formas variadas.

Uma delas é com o roubo de dados da vítima. Quem busca emprego clica no link indicado pelo anúncio e lá deixa seus dados, como se fosse para uma seleção de trabalho. Porém, esses dados podem ser utilizados pelos criminosos para cometer outros crimes, como contratação de empréstimos.

Em outra variante mais elaborada do golpe, os criminosos atraem as vítimas para uma seleção – que é falsa - e dizem que é preciso pagar uma taxa para participar. Em outros casos, alegam ser necessário fazer um curso para participar da seleção ou ficar com a vaga. Mas as empresas de recrutamento de vagas alertam: nunca são cobradas taxas para concorrer a uma vaga de emprego.

Golpistas usam vagas de emprego falsas para roubar dados e dinheiro

Veja a seguir dicas de como se proteger de golpes com vagas de emprego falsas

1- Atenção ao local no qual a vaga foi divulgada

Sites de anúncio de produtos, como OLX, vêm sendo utilizados pelos golpistas para anunciar vagas de emprego falsas. Porém, a empresa alerta que o portal não é destinado a esse fim. Portanto, se você se deparar com uma vaga de emprego no site, suspeite.

Outro meio utilizado com frequência pelos criminosos é o Facebook. De fato, há pessoas bem-intencionadas que usam a rede social para divulgar oportunidades de trabalho, mas nem todas são verdadeiras. Você vai precisar avaliar outros critérios (veja abaixo) para não cair em um golpe.

No quesito “rede social”, o LinkedIn é uma plataforma interessante com foco em carreira e que faz a divulgação de vagas. O ideal é procurar vagas e se candidatar a elas apenas em portais especializados, como o Vagas.com.br, Catho e InfoJobs, além de instituições já conhecidas como Sine e CIEE. Além disso, muitas vezes as empresas possuem uma área específica em seus sites para vagas de emprego, basta procurar no site o termo “trabalhe conosco”. 

2- Suspeite se pedirem seus dados

Se a vaga à qual você está pensando em se candidatar está sendo divulgada fora de portais oficiais e pede que você inclua seus dados em um formulário, fique de olho.

Também não é comum que empresas de recrutamento idôneas entrem em contato pelo telefone ou WhatsApp para pedir seus dados. Se isso acontecer, a chance de se tratar de um golpe é alta.

3- Observe a comunicação

Erros de português, histórias muito longas e improváveis, muitos requisitos para preencher e muitas informações para fornecer? Esses são alguns indicativos de que a seleção de emprego pode ser falsa. Empresas sérias se comunicam de forma profissional.

4- Ofertas boas demais para serem verdade

Já ouviu aquele ditado que diz “quando a esmola é demais, o santo desconfia”? Pois é bom desconfiar mesmo se uma oportunidade parece boa demais para ser verdade. Fazer uma vaga parecer imperdível é uma estratégia dos golpistas para atrair as vítimas. Encantadas pela possibilidade de conseguir algo muito bom, elas acabam se deixando enganar.


Buscando diversificar suas qualificações profissionais? Aproveite nossos cursos gratuitos. São mais de 300 opções em diversas áreas!


Veja também:

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: