Você já passou ou está passando pela difícil jornada de busca por trabalho? Envios de currículos, baterias de dinâmicas, entrevistas e vários “nãos” até o sonhado “está contratado”. É um desafio difícil, mas quase todo mundo vai precisar passar por ele alguma vez na vida. Pensando nisso, preparamos esse conteúdo especial para você saber como se preparar para uma entrevista de emprego. Spoiler: há ações para fazer mesmo se você não estiver buscando trabalho agora!

Preparar para uma entrevista de emprego requer autoconhecimento

O Instituto de Longevidade MAG pediu para a psicóloga e especialista em recrutamento Laura Oliveira algumas dicas sobre o que é mais importante ao se preparar para uma entrevista de emprego. Dentre várias dicas, uma se sobressai: é preciso ter autoconhecimento.

“A gente precisava avaliar o momento de vida em que estamos e conseguir perceber a parte boa e a parte ruim, e isso vai existir independentemente da idade. Se sou novo tenho pontos a desenvolver. Se tenho mais idade, igualmente. É preciso ter bem claro o que você tem para oferecer e quais as dificuldades vai enfrentar”, explica.

Portanto, ao se candidatar a uma vaga, faça um exercício de autoavaliação. Você não tem experiência na função à qual se aplica? Então, de que forma vai demonstrar que está interessado e disponível para aprender? Se já está há muitos anos no mercado de trabalho, como ser um profissional com capacidade de se reinventar?

Olhar no espelho: Se preparar para uma entrevista de emprego requer autoconhecimento | Foto: Teerasan Phutthigorn/Shutterstock

Se olhar no espelho: preparo para uma entrevista de emprego requer autoconhecimento | Foto: Teerasan Phutthigorn/Shutterstock

Veja a seguir outras dicas da psicóloga para se preparar para uma entrevista de emprego ou processo seletivo:

  • O preparo para o processo seletivo deve ser constante

Se você está empregado e nem pensa em participar de uma entrevista agora, fique ligado: esta reportagem também é para você! É que uma das principais dicas para se dar bem na concorrência de uma vaga de emprego é ter atenção constante ao movimento do mercado de trabalho da sua área de atuação.

“Estando empregado ou não, é importante estar por dentro do que está sendo exigido no mercado porque se em algum momento ficar disponível, perder o emprego e precisar de uma recolocação profissional, não vai estar perdido”, alerta a psicóloga.

“A gente vê pessoas que entram em uma vaga e meio que esquecem do mundo. Entendo que a vida é corrida, mas é importante estar de olho no que está acontecendo em sua área. O que as vagas vêm cobrando? Quais cursos são exigidos? Quais os comportamentos esperados?”, completa.  Tendo isso em mente, você poderá direcionar sua carreira para atender às necessidades do mercado, se tornando um profissional cada vez mais qualificado e necessário.

  • Currículo ainda é essencial

Outra dica da psicóloga é com relação ao que vai no currículo, considerado seu cartão de visitas. Não adianta enviar centenas de currículos se nenhum deles vai atingir o alvo. “É importante fazer um currículo enxuto, assertivo, não precisa colocar as experiências da vida inteira”, recomenda.

Além disso, é preciso adequar o currículo à vaga para a qual você está se candidatando. Por exemplo: se a vaga é para um cargo de gestão, é importante trazer no currículo informações sobre a sua experiência em gestão. Se é uma vaga mas técnica, trazer o que você tem de qualificação técnica.

  • É preciso ter carta de apresentação ou de recomendação?

Para Laura Oliveira, carta de apresentação ou de recomendação são documentos desnecessários no início do processo seletivo. Ela explica que o volume de currículos em uma seleção é grande, de forma que o recrutador tem pouco tempo para avaliar cada currículo.

Nesse cenário, ter um currículo assertivo é muito mais eficaz. “Ele (o recrutador) precisa bater o olho, ver o que a pessoa fez e se ela tem os requisitos da vaga”, enfatiza.

  • Vagas diferentes têm processos seletivos diferentes

A psicóloga explica que a forma como o processo seletivo é estruturado pelo recrutador depende muito dos requisitos de cada vaga. São analisadas quais as competências necessárias, tanto técnicas, quanto comportamentais.  

Se uma posição exige experiência, vai precisar de uma etapa que coloque em teste a experiência dos candidatos. Outra ocupação que exija boa comunicação, no caso de vendas, por exemplo, terá uma dinâmica para avaliar a desenvoltura do candidato em se comunicar.

Portanto, é importante pensar nisso ao se candidatar e se preparar para participar do processo de seleção.

  • É fundamental se informar sobre a empresa e ter entusiasmo para a seleção

Por fim, a última recomendações da especialista em recrutamento para se preparar para uma entrevista de emprego é se informar. “Muitas pessoas pecam nos processos seletivos porque vão sem informações, não pesquisaram a empresa, não conhecem bem a vaga”, revela Laura Oliveira.

Com relação às dinâmicas de grupo ou mesmo individuais, que geralmente são surpresa, a psicóloga traz uma dica: “Não tem como se preparar previamente, então o importante é estar disponível, se envolver com a dinâmica, demonstrar interesse e fazer o seu melhor”.


Buscando diversificar suas qualificações profissionais? Aproveite nossos cursos gratuitos. São mais de 300 opções em diversas áreas!


Veja também:

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: