Lifelong learning: você conhece o significado desse conceito? De forma simples, trata-se de aprendizado contínuo. Ou, em outras palavras, educação ao longo da vida. Falar em lifelong learning é dizer que é preciso aprender continuamente, independente da idade. Afinal de contas, hoje em dia, só deixa de aprender quem quer. 

O conceito de Lifelong learning, reforçando a importância da aprendizagem ao longo da vida, foi apresentado nos anos 70 pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE) no manifesto Recurrent Education: A Strategy of Lifelong Learning. O manifesto ressaltava a importância de se promover a aprendizagem não apenas em ambientes formais como em uma sala de aula, mas informais também. 

Esse ponto está no livro “Lifelong Learners - o poder do aprendizado contínuo”, do Ph.D em Psicologia da Aprendizagem e especialista em educação corporativa Conrado Schlochauer. Ele explica que quando se fala, por exemplo, em estar “formado”, já se tem a ideia de que a pessoa está pronta. “O próprio termo dá a entender que você já aprendeu tudo o que tinha para aprender. E, então, não tem mais necessidade de buscar conhecimento”, explica. “É uma mentalidade ultrapassada, que não cabe mais para um profissional que precisa estar sempre atualizado.”

Ou seja, aquela ideia de que basta terminar o segundo grau e fazer uma faculdade para estar preparado para o mundo do trabalho já não vale mais. Aliás, há muitas carreiras que nem sequer exigem faculdade. Mas exigem aprendizado o tempo todo.

mulher madura estudando e seguindo conceito de lifelong learning

Crédito: Ermolaev Alexander/shutterstock

Profissional precisa aprender sempre

A importância de estar sempre aprendendo já havia sido reforçada pela diretora de conteúdo e relações institucionais da Great Place to Work (GPTW), Daniela Diniz, em entrevista ao Instituto de Longevidade MAG. “O profissional tem que desconstruir o modelo mental de que estudou 20 anos da vida e isso garantiu sua empregabilidade por 35 anos. Hoje o que a gente estudou no começo de vida não garante nem 5 anos de empregabilidade para ninguém. Ele tem que entender, portanto, que tem que renovar o repertório o tempo todo.”, explicou. 

Daniela citou a frase de Alvin Toffler para contextualizar. “O analfabeto do século XXI não será quem não consegue ler e escrever, mas aquele que não consegue aprender, desaprender e reaprender.” Para ela, isso vale para qualquer idade, principalmente para os seniores, que têm resistência maior natural.

Para  Jordano Rischter, sócio da Wide, consultoria boutique de recrutamento e seleção, o lifelong learning é a estratégia certeira para um futuro promissor frente aos concorrentes. “A educação contínua, quando traduzida, veio à tona em meio à nova dinâmica empresarial sentida nos últimos anos. Principalmente impulsionada pela pandemia. Muito além do que valorizar apenas um diploma, mestrado ou qualquer outra formação, defende a necessidade urgente em nos mantermos atualizados em nossas áreas de atuação. Ou seja, buscando cursos complementares ou quaisquer outras fontes de ensino como estímulo à capacitação constante.”, diz.

Ele reforça que é preciso se manter atualizado sobre as principais tendências, novidades e perspectivas do mercado a todo momento. "Tanto para permanecermos empregados diante de tamanha competitividade, quanto para alavancarmos e conquistarmos cada vez melhores posições.”

Lifelong learning é para funcionários e empresas

Em uma comparação, Rischter explica que de nada adianta um vendedor bater suas metas mensalmente, se não aprender as soft skills. Ou seja, as habilidades comportamentais necessárias para assumir cargos de maior responsabilidade e ser capaz de gerir seus times, assim como motivá-los para obterem melhores resultados.

“Para as empresas, as vantagens também são incontestáveis. Afinal, o sucesso de qualquer companhia depende de profissionais preparados e qualificados. Quanto maior for o conhecimento técnico e comportamental dos times, melhores serão os resultados obtidos à curto e longo prazo”

Aprendizado não é só nos livros e cursos

Algo importante é que aprender de forma contínua não é apenas estar dentro de salas de aula. Para Schlochauer, o aprendizado não vem só dos livros e cursos. Existem muitas fontes que podem alimentar o conceito de lifelong learning na vida de alguém. Entre elas:

  • Pessoas:  “Ao marcar um encontro, escute de maneira verdadeiramente ativa. Deixe espaço para que o conhecimento do outro se complemente ao seu.”
  • Experiências: Como base do aprendizado adulto, é válido fazer uma busca ativa das atividades e vivências que nos apoiarão em nossa trilha de desenvolvimento. “Ter espaço de experimentação prática é imprescindível para que o aprendizado efetivamente ocorra.”
  • Conteúdos: Schlochauer acredita que eles são a base para a construção de um conhecimento mais sólido. “Saber fazer curadoria, escolher as mídias e fazer uma leitura ativa são habilidades muito importantes para um aprendiz ao longo da vida.”
  • Redes: “São grandes impulsionadores para o aprendizado individual. Os motivos são muitos: trocas, engajamento, relacionamento e até uma pequena pressão social positiva. Grupos renovam as outras fontes, oferecendo novos conteúdos, experiências e pessoas.”

Como você pode ver, há muitas formas de aplicar o conceito de lifelong learning em sua vida. Cada pessoa pode escolher a maneira que melhor cabe em seu momento! E se você estiver disposto a aprender, o Instituto de Longevidade MAG oferece diversos cursos gratuitos que você pode acessar agora!

Botão para que as pessoas com mais de 40 anos possam acessar a página de cursos gratuitos do Instituto de Longevidade MAG. 


Leia também:

Veja 5 cursos gratuitos sobre finanças pessoais 

Aprender um novo idioma muda o seu cérebro! Veja 3 benefícios para você 

Carreira profissional após os 50 anos: mantenha o seu currículo atualizado


Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: