Poucas pessoas estão realmente satisfeitas com o salário que recebem. E isso pode acontecer, principalmente em tempos de inflação. Os preços de produtos e serviços sobem e os ganhos não acompanham. Mas será que este é o momento para pedir aumento de salário na sua empresa?

De acordo com a psicóloga e coach Ana Melo Dias, é preciso levar em conta dois pontos principais:

A situação da empresa 

E o seu histórico profissional dentro dela.

“Tem empresas que na pandemia vivem cenários muito bons, financeiramente falando, como construção, logística, bioquímica. O que dá espaço para negociação de salário. Outras empresas como as da área de aviação, turismo e intercâmbio sofretam mais e precisaram fazer cortes e redução no quadro”, adverte Ana.

O outro ponto, na visão da psicóloga, é o quanto você teria para oferecer de argumentos para esse aumento. Por exemplo, como foram as suas últimas avaliações de desempenho.

“Normalmente, é por essa nota [de avaliação de desempenho que se avalia a possibilidade de aumento. Também é preciso levar em conta o quão requisitado ou requisitada você foi para projetos. Além do feedback desses projetos”, explica. Mas a lista pode ser ainda maior. “O que você faz que os outros não fazem? Como foram os últimos feedbacks que teve? Também pense se você teria outras propostas de emprego com um salário melhor, caso onde está não queira lhe dar um aumento de salário”.
Dois funcionários conversando no escritório sobre aumento de salário. Crédito: Krakenimages.com/shutterstock

Ana lembra que muitas empresas têm planos de cargos e salários bem definidos. Isso é um erro comum cometido por funcionários que buscam ganhar mais. Eles não se atentam que, nessas empresas, o aumento de salário só acontece depois de determinado tempo já definido.

Por fim, é importante refletir sobre o quanto você percebe de valor para si mesmo e o quanto demonstra isso na prática. “Às vezes, a gente deseja que o outro valorize a gente, sendo que nem a gente percebe o valor que temos. Pedir aumento é uma negociação, ou seja, você precisa provar que merece e que vai valer a pena para empresa lhe dar esse aumento”, conclui Ana.

Responda a essas 3 perguntas antes de pedir um aumento de salário

Para o coach de carreiras Bruno Galvani, é importante que as pessoas que buscam um aumento de salário ou uma promoção na empresa em que trabalha respondam primeiramente a três perguntas antes de decidirem conversar com o chefe.

“Vejo muitas pessoas argumentando que têm muito tempo de empresa. Discordo! Acho que isso não é relevante. A não ser que a empresa tenha um plano de carreira que leve em conta o tempo de casa”, explica Galvani.

“Tempo de casa não é o motivo que as empresas olham, nem para promoção nem para aumento de salário, mas sim, o valor que ela entrega. É importante tirar esse mito de que isso é algo decisivo para a promoção ou para o aumento de salário. Isso não faz sentido”, completa.

Veja abaixo as três perguntas que você deve fazer a você mesmo antes de conversar com o seu chefe para pedir um aumento de salário.

1. Estou entregando mais do que a minha posição atual me pede?

“A gente só vai ser promovido ou conseguir um aumento de salário se a gente estiver entregando mais, mostrando mais valor do que hoje a gente entrega. O profissional é remunerado pelo valor entregue. Muitas pessoas pensam que ganham por hora, mas não, é pelo trabalho entregue à empresa ou pelo serviço prestado”, garante Galvani.

Para ele, se o profissional está sempre disposto a contribuir com os colegas e a ter novos desafios em vez de recusá-los, ele mostrará valor.

2. Quais foram os resultados que obtive no ano anterior, comparado com as metas estabelecidas?

“É sempre bom que a pessoa estabeleça metas para o seu ano. Muitas empresas, quando são bem estruturadas, o líder se reúne com o subordinado para estabelecer os objetivos para aquele período. Essa é uma maneira de você medir a sua performance. E se você chegou no início do ano seguinte excedendo as expectativas, por que não pedir um aumento?”, argumenta o especialista.

3. É o momento certo para pedir aumento de salário?

Galvani destaca que é importante sempre estar de olho no que está acontecendo na empresa, nos movimentos e nos sinais.

“Pode ser que realmente a empresa não esteja num momento saudável para te dar um aumento, então é preciso estar de olho nisso. Olhar os bastidores e estar sempre esperto sobre esse ponto”, aconselha.

Na visão do coach, vale até uma conversa com o chefe antes de pedir um aumento de salário para saber como estão as coisas na empresa. “Se ele falar que está tudo bem, já pode estruturar aí na semana seguinte uma maneira de pedir aumento, desde que atenda às perguntas anteriores. Mas se a empresa não estiver bem, pedir um aumento nesse momento pode ser ruim para você. É melhor esperar. E esse é o momento de ir mostrando valor, de acrescentar, de ajudar a empresa a sair da dificuldade. Então pedir um aumento só depois que as coisas melhorarem, agora com os argumentos do valor entregue e também dos objetivos atingidos nos meses anteriores”, conclui Galvani.

E então, já pensou sobre as três perguntas? Avalie bem todos os pontos levantados pelos dois especialistas e reflita se este é o momento para você pedir um aumento de salário. E boa sorte!


A requalificação é vista de forma positiva por diversos gestores. Pensando nisso, o Instituto de Longevidade MAG conta com mais de 300 cursos de requalificação para seus membros. Basta se inscrever gratuitamente e acessar aos conteúdos exclusivos sem sair de  casa.

Botão para que as pessoas com mais de 40 anos possam acessar a página de cursos gratuitos do Instituto de Longevidade MAG.

Leia também:

Empreendedorismo maduro: tudo o que você precisa saber para começar hoje

Quer ter longevidade na carreira? Veja 5 passos para se manter ativo no mercado de trabalho

Mercado de trabalho para idosos: inclusão multigeracional é desafio para empresas, aponta pesquisa

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: