O que fazer quando uma loja atrasa a entrega de um produto? Ou se ele chega avariado? Ou quando se arrepende de ter feito uma compra pela internet? Se você não sabe a resposta para essas perguntas, não se preocupe! Neste Dia do Cliente, mostramos quais são os seus direitos na hora de comprar um produto ou serviço. 

Afinal, a melhor forma de se defender contra qualquer violação é saber o que você pode ou não fazer. Assegurar seus direitos é uma das melhores formas de garantir uma longevidade plena e consciente, evitando frustrações e prejuízos para seu bolso ou sua qualidade de vida.

Conheça seus direitos

O Código de Defesa do Consumidor, criado em 1990, é o documento responsável por resguardar os direitos do consumidor. É ele que ajuda a regular a entrega de produtos ou a oferta de serviços, seja em loja física, seja em ambiente virtual. 

"As normas têm como objetivo acabar com a vulnerabilidade do cliente em relação ao fornecedor e levam em consideração a boa-fé e a transparência dos negócios", afirma Igor Marchetti, advogado do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor).

Entre os direitos do consumidor pouco conhecidos, está o que resguarda os bens deixados dentro de um carro estacionado em um estabelecimento, mesmo que o comércio coloque um aviso informando exatamente o contrário. "Uma súmula do Superior Tribunal de Justiça diz que a empresa responde pela reparação do dano ou furto de veículo ocorrido em seu estacionamento", explica Marchetti.

Em uma loja de roupas, algumas roupas estão dispostas em uma arara. Sobre a arara, placas indicando o valor dos descontos. Imagem ilustra o Dia do Cliente.

Em uma loja de roupas, algumas roupas estão dispostas em uma arara. Sobre a arara, placas indicando o valor dos descontos. Crédito: Por Andrewshots/shutterstock

Segundo a Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor), outra norma pouco aplicada é a que protege o cliente que paga uma quantia indevida por uma conta, por exemplo. Nesse caso, ele tem direito a receber o dobro do valor pago, mais correção monetária e juros.

"Enganos justificáveis seriam somente em casos que envolvem fatores externos e que fogem do controle do fornecedor. O pagamento em dobro vale para casos em que houve má-fé da empresa", sinaliza Maria Inês Dolci, advogada e coordenadora institucional da associação.

Teste seus conhecimentos

Dia do Cliente: oportunidade para comprar sem gastar muito

Com a maior popularidade do Dia do Cliente, celebrado neste 15 de setembro, a data passou a ser utilizada pelo comércio como oportunidade de venda do estoque parado a preços mais competitivos – um saldão nos moldes da Black Friday, realizada em novembro.

E nem todo mundo está atento aos descontos neste dia, mas é importante ficar de olho nas promoções oferecidas pelos lojistas. Se você estava pensando em trocar o celular, renovar o guarda-roupa ou até mesmo comprar um curso para se desenvolver profissionalmente, fique de olho. Agora pode ser o momento de comprar sem gastar muito.

E lembre-se: atenção aos seus direitos! Compre de forma consciente do que você pode e não pode, tendo sempre em mente seu planejamento orçamentário.


Gostou da matéria? Entre no nosso grupo de WhatsApp e receba outros conteúdos sobre saúde, trabalho, finanças e muito mais!


Leia também:

Lei do Superendividamento traz mudanças positivas para os consumidores

Consumo consciente: como aproveitar a Semana do Consumidor sem prejudicar suas finanças

Cancelar plano de saúde é possível mesmo para inadimplentes

Compartilhe com seus amigos