Famílias com dados desatualizados no Cadastro Único (CadÚnico) podem ser excluídas de programas federais, a partir de julho de 2023. A atualização do cadastro, procedimento necessário e em andamento, foi prorrogada pelo Governo Federal.

Aqueles que não atualizarem os seus dados no Cadastro Único poderão perder benefícios como a Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), Benefício de Prestação Continuada (BPC), Auxílio Brasil, entre outros.

O Ministério da Cidadania informou que, "a falta de atualização dos dados do Cadastro Único pode levar à suspensão do benefício e posterior cancelamento. Se os registros não forem regularizados, as famílias podem ser excluídas do Cadastro Único a partir de julho de 2023”.

No momento, existem duas atualizações necessárias:

  • Revisão Cadastral – para famílias que fizeram a última atualização em 2016 e 2017.
  • Averiguação Cadastral – para famílias com divergências entre os dados preenchidos e o cruzamento de informações com outras fontes.

Novos prazos para atualização de dados no Cadastro Único

Regularizar os dados no Cadastro Único é importante para não perder nenhum benefício. Contudo, estar inscrito no CadÚnico não significa entrada automática nos programas sociais. É necessário se inscrever e passar por entrevistas para obter os benefícios.

Veja abaixo os prazos de atualização:

Famílias com cadastro desatualizado

  • 1. Atualização indicada para famílias em que a renda esteja acima de meio salário mínimo (R$ 606,01) por pessoa,  e que apresente, ao menos, uma pessoa com renda divergente em relação aos registros do Governo Federal. O cálculo considera a divergência de, pelo menos, um mês de análise.


  • 2. Atualização indicada para famílias em que a renda esteja acima da linha de pobreza e abaixo de ½ salário mínimo (entre R$ 210,01 a R$ 606,00). Que apresente, ao menos, uma pessoa divergente em relação aos registros administrativos do Governo Federal durante seis meses consecutivos de análise.

  • Prazo final para atualização: agosto de 2022

Famílias com cadastro desatualizado desde 2016 ou 2017

  • 1. Atualização indicada para evitar o bloqueio do Auxílio Brasil:

  • Prazo final para atualização: outubro de 2022

  • 2. Atualização indicada para evitar o cancelamento do Auxílio Brasil e da Tarifa Social de Energia Elétrica:

  • Prazo final para atualização: dezembro de 2022

Um mão segurando um celular com o aplicativo do Cadastro Único aberto.

Crédito: JERO SenneGs/shutterstock

Saiba como conferir a situação dos dados no Cadastro Único

Através do aplicativo do Cadastro Único e do site oficial, é possível saber a situação está como Averiguação ou Revisão Cadastral. O app, disponível para Android e iOS, foi criado em março deste ano para facilitar o acesso à informação cadastral de cada família.

Ainda, as famílias que recebem o Auxílio Brasil recebem mensagem de extrato mensalmente pelo aplicativo. Enquanto isso, os beneficiários da TSEE podem receber comunicados por mensagem na conta de energia elétrica.

A confirmação dos dados pode ser feita diretamente no aplicativo. Contudo, caso seja necessário alteração de informações, será necessário comparecer a um posto de cadastramento para realizar uma nova entrevista.

Veja os endereços dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). Basta selecionar o seu estado o seu bairro para verificar o local mais perto de sua casa.

Documentos necessários para atualizar os dados do Cadastro Único

Todos os membros da família devem ter os seus dados atualizados. O Responsável Familiar (RF) tem a função de levar os seus documentos e das demais pessoas da família. É necessário apresentar:

  • CPF (preferencialmente);
  • Ou Título de Eleitor.

Já para os demais familiares, o responsável deve apresentar, pelo menos, um dos documentos abaixo para cada pessoa da família:

  • CPF(preferencialmente);
  • Ou Certidão de Nascimento;
  • Ou Certidão de Casamento;
  • Ou Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI) – para indígenas que possuem apenas esse documento;
  • Ou Carteira de Identidade - Registro Geral de Identificação (RG);
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social;
  • Ou Título de Eleitor.

Apenas as famílias indígenas e quilombolas são necessitam da obrigatoriedade de apresentar qualquer outro documento.


Já imaginou receber conteúdos sobre saúde, trabalho, finanças e muito mais diretamente no seu celular? Clique aqui e entre no nosso grupo do WhatsApp.


Leia também:

PIS/Pasep: Quem não sacou em dois anos pode receber até R$ 3mil

Benefícios indevidos do INSS: 8,5 mil beneficiários já estão com pagamento suspenso

Pagamento do Auxílio Brasil de julho: confira o calendário

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: